Sofrer e amar…

O amor consagra a dor, torna-a redentora, fonte de vida, de solidariedade, de afeto. Se faltar amor, aí sim, a dor se torna cruel. Ela se volta contra as pessoas que mais amamos, porque nos coloca no centro de tudo e faz dos outros meros espectadores de nossa história. Com amor, Deus está no centro, e nós nos tornamos seus filhos amados, sua imagem e semelhança, e podemos fazer bem a muita gente.

Pe. Rogério das Neves

Anúncios

3 pensamentos sobre “Sofrer e amar…

  1. Boa noite Pe Rogério e Família Filhos no Céu
    Estamos prestes a completar dois anos de grupo e nesse tempo todo
    não tinhamos falado tanto de amor
    Sempre falamos muito de saudades, dor, sofrimento e tristezas
    Quando iniciamos o grupo achei que não era mais possível amar
    A convivencia, o aprendisado, a escuta aos testemunhos, as partilhas
    muitas vezes íntimas de mães pais e outros membros do grupo me
    ensinaram que é possivel AMAR na dor
    Quantas vezes cheguei no grupo com um problema tão pequeno e
    ao escutar algumas partilhas encorajadoras falando de amor e fé
    esperança e vida eterna, dor tranformada em saudades, certeza
    do reencontro com nossos filhos, mostram o quanto a união, a divisão
    de sofrimentos nesses dois anos entraram para fazer parte de nossas
    vidas para sempre
    Viver na fé essa dor tranformada em saudades e tendo a certeza de
    que posso Amar meu FILHO GUSTAVO que somente está do outro
    lado do caminho como diz Santo Agostinho é maravilhoso
    Agradeço ao Pe Rogério e todos aqueles que desde o primeiro encontro
    me deram forças, coragem, e perceverança para alcançar esses
    dois anos e muitos outros mais que viram com certeza

    Obrigado
    Rodolfo e Neuza

  2. Padre, sua bênção!

    Não há colocação melhor do que esta: “o amor consagra a dor”. Nós que fazemos parte dessa família que vivencia a dor em sua maior profundidade, podemos afirmar que sem o amor – o amor de Deus, dos familiares e dos amigos- não teríamos conseguido dar um passo sequer. É verdadeiramente o amor em sua plenitude que nos encoraja, nos reveste de fé, de solidariedade, e porque não dizer, de muita esperança!
    Nesses dois anos de encontros somos testemunhas de que sem o amor, sem a fé, sem a solidariedade, sem a esperança, correríamos o risco de ter um coração magoado, endurecido e mergulhado num imenso vazio.
    Padre, é isso, o amor coloca Deus no centro da nossa vida e nos faz olhar o sofrimento com um olhar mais sereno e cheio de fé, afinal, cremos que um dia reencontraremos com os nossos filhos na glória de Deus.
    Obrigada por caminhar conosco!
    Abraços,

    Regina.

  3. Pe Rogério!

    A sua benção.

    Muito bonito o seu texto. Fiquei refletindo sobre a beleza dos sentimentos que envolvem o título. E a ordem dos dois sentimentos faz a diferença.

    O amor torna o sofrimento sagrado. E esse sagrado santifica a dor humana, quando encontra na esperança o amor de Deus, que tem continuidade no Jesus ressuscitado.

    Eliete

Escreva aqui o seu comentário, seu testemunho, seu pedido. Em breve, responderemos. Paz e Bem!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s