Reflexão de Janeiro

Reflexão do mês

Janeiro de 2011

Eis o Cordeiro de Deus…” (Jo 1,29)

Janeiro é o mês do “conhecimento”. O tempo no qual a Palavra nos convida a reconhecer a verdadeira Face do Filho de Deus que se fez homem por nós. Entrou na nossa história, na nossa humanidade limitada e corrompida para redimí-la e regenerá-la, para transfigurá-la à Sua imagem e semelhança, para dar-nos a Vida do Céu, eterna. Como ovelha inocente, sem qualquer mancha, tomou sobre Si, no centro do seu Sacratíssimo Coração todas as nossas faltas, os egoismos, as dúvidas, nossa indiferenças, as rebeldias, as rejeições, os sofrimentos e as sombras da morte, revelando-nos os traços mais significativos e admiráveis de um amor e de uma obediência sem limites, verdadeiramente divinos, que levam ao dom supremo de Si, até à morte de Cruz. É de fato Ele, sempre o primeiro, a tomar a iniciativa, a “vir na nossa direção” e a caminhar amorosamente, contantemente, pacientemente, ao nosso lado. Nos sustenta nos momentos mais escuros e dolorosos da nossa existência, quando a morte do nosso filho, de nossa filha, dilacera violentamente os nossos afetos e escuresce o nosso olhar, mas nós nos damos conta da Sua divina presença? Somos capazes de reconhecê-lo? Quem é Jesus para nós? Infelizmente devemos admitir que nas provações mais duras, não o reconhecemos mais. De amigo, parece transformar-se de repente num inimigo. Nos sentimos abandonados, traídos, perdidos, e frequentemente acabamos por preferir falsos profetas que oferecem caminhos mais cômodos e fáceis. Se, em vez disso, percorremos o nosso deserto interior, nos despojamos da nossa autosuficiência, fazemos jejum da nossa presunção e admitimos humildemente “Eu não o reconhecia” como João Batista, abandonando-nos com confiança à Sua Vontade, o Céu se abrirá sobre nós, o Espírito do Ressuscitado descerá no nosso coração e o dilatará a dimensões novas, o fará capaz de reconhecer a beleza do Filho de Deus, daquele que venceu a morte. Reconhecendo a nossa pequenez poderemos reconhecer a Sua grandeza, e ser testemunhas fidedignas do amor infinito que tem para os nossos filhos, para nós, para toda a humanidade.

Refletindo e rezando

Conheço verdadeiramente a verdadeira Face de Jesus, Filho de Deus, esplendor da glória do Pai? É para mim somente um Deus que atende às minhas necessidades, sara as minhas feridas ou me deixo plasmar pela Sua Palavra, iluminar pela Sua Luz, guiar pelo Seu Projeto, tranformar pelo Seu Amor? Peçamos a Maria nossa Mãe Consoladora para ajudar-nos a viver na humildade do nosso serviço de consolação, para poder viver quotidianamente o canto do “Magnificat”.

(Por Andreana Bassanetti, extraído e traduzido da página eletrônica http://www.figlincielo.it)

Anúncios

Escreva aqui o seu comentário, seu testemunho, seu pedido. Em breve, responderemos. Paz e Bem!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s